Princípios de Convivência

Carta de Princípios de Convivência

Todos merecemos ser tratados com respeito

 

  • Todos devem saber ouvir e saber falar.
  • Todos devem levantar a mão para pedir a palavra.
  • Ninguém deve sofrer ameaças.
  • Ninguém deve receber apelidos desrespeitosos.
  • Ninguém deve ser xingado ou ofendido.

Todos temos direito a uma escola tranqüila, limpa e organizada

 

  • Todos devem cuidar das plantas e do jardim.
  • Todos devem se esforçar para manter os banheiros limpos.
  • Todos devem jogar o lixo nos cestos.
  • Ninguém deve correr nos corredores.
  • Ninguém deve pular os muros da escola.
  • Todos devem ter calma, para que não haja brigas.
  • Não devemos pichar ou rabiscar as paredes e muros.
  • Na escola não devemos falar palavrões.

Todos temos que levar a escola a sério

 

  • Ninguém deve cabular as aulas.
  • Os horários devem ser respeitados por todos.
  • Todos devem vir à escola com roupas adequadas.
  • Não devemos mascar chicletes nas aulas.
  • Não devemos fumar na escola.

Todos temos direito a materiais de estudo e livros limpos e bem conservados

 

  • Não devemos rabiscar as carteiras.
  • Devemos cuidar dos livros e dos outros materiais de uso coletivo, não rabiscando ou rasgando.
  • Devemos respeitar os materiais dos outros, não roubando ou mexendo em mochilas sem autorização.
  • Só devemos trazer para a escola os materiais que vamos usar para estudar e dos quais poderemos cuidar. Não devemos trazer MP3, e celular só se for muito necessário.
  • Devemos ser solidários e emprestar nossos materiais, que devem ser bem cuidados e devolvidos após o uso.

Todos temos direito a fazer as refeições em local limpo e tranqüilo

 

  • Devemos nos servir somente da quantidade que pretendemos comer, para não desperdiçar comida.
  • Não devemos brincar com a comida, nem jogá-la no chão ou nos outros.
  • Todos devem respeitar a fila para pegar os pratos.
  • Não devemos comer em locais inadequados.

Todos temos direito a uma escola que funcione organizadamente

 

  • Os horários das atividades devem ser definidos e respeitados.
  • Todos os roteiros e trabalhos dos alunos devem ser corrigidos.
  • O número de educadores deve ser suficiente.

Histórico dessa bela Carta de Princípios

Em 10 de agosto de 2005, Stella Maris Nicolau e Luis Braga (pais de alunos e colaboradores da escola), propuseram ao Conselho de Escola a constituição de um grupo de alunos para pensar e preparar a implantação de assembléias de alunos na EMEF Amorim Lima. A proposta foi aprovada pelo Conselho e em 11 de agosto de 2005, Stella e Luis percorreram todas as classes do ciclo II convidando à participação.

A primeira reunião com o grupo dos alunos interessados aconteceu em 17 de agosto de 2005, com a presença de 15 alunos. A partir dessa data fizemos reuniões
semanais com os seguintes objetivos:

  • entender o funcionamento do Conselho de Escola e o papel dos alunos nas instâncias de deliberação.
  • compreender o que é uma assembléia e como esta se organiza.
  • discutir o papel do aluno na vida escolar.

As reuniões foram conduzidas com jogos de integração, técnicas de dinâmica de grupo e simulações de assembléias.
Este grupo decidiu, e o Conselho de Escola aprovou, a realização das primeiras assembléias de alunos em 25 de novembro de 2005. Foi enviada carta aos educadores da escola a fim de esclarecê-los sobre a importância destes acompanharem e apoiarem as assembléias, deixando todavia a coordenação a cargo dos alunos.
O grupo de preparação elencou 12 temas que julgou de interesse do conjunto dos alunos da escola. Organizou-se uma eleição a fim de escolher, entre esses temas, os 2 que seriam pontos de pauta das assembléias.
Os dois temas mais votados pelos alunos e que seriam pontos de pauta das assembléias foram:

  • Uso dos computadores no salão.
  • O modo de formação dos grupos dos alunos no salão.

No dia 25 de novembro de 2005, os alunos do grupo de preparação, agora com 9 integrantes, dividiram-se em trios e coordenaram simultaneamente três assembléias pela manhã e três assembléias à tarde. A escola disponibilizou equipamento de som (microfones) nas salas, e cada assembléia contou com cerca de 100 alunos e com a presença dos professores que se prontificaram a apoiar os coordenadores caso houvesse necessidade, mas mantiveram a postura de observadores, deixando a cargo dos alunos a condução do processo.
Em todas as assembléias foram discutidos os dois pontos de pauta mais votados pelos alunos e também outros assuntos relativos à vida escolar foram levantados por estes. Alguns em tom de queixa, outros em forma de sugestão. O clima nas assembléias oscilou entre momentos de maior agitação e tumulto, para momentos onde se respeitavam as inscrições e a palavra era pedida com respeito. O grupo de preparação avaliou que o saldo fôra positivo, e que os alunos coordenadores conseguiram conduzir com segurança as assembléias, e esclarecer aos presentes que as deliberações das assembléias só poderiam efetivar-se depois de discutidas e aprovadas pelo Conselho de Escola, instância máxima de decisão da escola.
Em 30 de novembro de 2005, em reunião de Conselho de Escola, os coordenadores
das assembléias apresentaram uma avaliação das seis assembléias que ocorreram na escola e apresentaram uma série de queixas e reivindicações dos alunos, tais como, o pedido de estes escolherem seus grupos de estudo no salão, a instalação de armários para guarda de pertences, a melhor organização do uso dos computadores no salão, a realização de campeonatos esportivos na escola, a confecção de carteirinhas para identificação dos alunos e outros. O Conselho avaliou a experiência como positiva e o grupo de preparação se disponibiliza a continuar o trabalho em 2006.
Em Março de 2006, retomam-se as reuniões do grupo de preparação, mas o mesmo encontra-se esvaziado, com três alunas atuantes. Discute-se a necessidade de nova estratégia de trabalho e, juntamente com o Conselho Pedagógico discutiu-se a necessidade de revitalizar os Grupos de Responsabilidades.
Cada tutoria deveria constituir um grupo de responsabilidades e enviar um representante para reuniões com o grupo de preparação de assembléias. Foram feitas três reuniões que agregaram os representantes de todas as tutorias a fim de discutir as tarefas dos grupos de responsabilidade. Nessas reuniões os alunos se queixavam de dificuldades na esfera dos relacionamentos na escola, onde os problemas ocorriam devido a falta de respeito e de compromisso de alunos, educadores e funcionários. Nesse sentido o grupo de preparação sugeriu que se criasse uma Carta de Princípios de Convivência, onde todas as tutorias se comprometessem a discutir e sugerir pontos para compor essa carta, e assim o fizeram.
Mais de 40 grupos apresentaram sugestões à Carta dos Princípios de Convivência
e o grupo de preparação as compilou, buscando contemplar todas as sugestões, sendo os pontos polêmicos levados ao Conselho de Escola.

A redação final da carta foi aprovada na reunião extraordinária do Conselho
de Escola de 17 de novembro de 2006.

35 comments

  1. Queridos,

    Que descoberta maravilhosa na rede municipal! Fico curiosa a respeito de uma coisa: e o currículo, é o mesmo estabelecido para a rede? As avaliações externas, vocês também se submetem a isso ? Sei que quem cai na rede é peixe, mas há um meio de escapar disso tudo?
    Abraços grandes

    1. Olá Débora, como vai? Obrigada pela sua visita ao site. Sou da Comissão do Site (formada por pais de alunos) e responsável pela atualização por aqui. Talvez, eu não seja a melhor pessoa para te responder sobre isso, mas adianto que sim, o currículo é o mesmo estabelecido pela rede e as crianças se submetem às avaliações externas (você se refere a Prova Brasil e Ideb, não é?). Recomendo que você entre em contato com a secretaria da escola por telefone ou email: 3726.1119 e amorimlima@yahoo.com.br para obter mais detalhes. Um grande abraço, Márcia

  2. Olá! Tenho um sobrinho de 5 anos que estuda no Ceu Lageado, mas ano que vem irá se mudar para as proximidades do rio pequeno, e entrará na 1ª série. Adoraria que ele estudasse nessa escola! O que eu teria que fazer pra conseguir uma vaga pra ele se eu ainda não tenho como comprovar que iremos morar nas redondezas?

    1. Olá Marina,

      Como vai? Tudo bem? Só a secretaria poderá responder essa pergunta (eu sou mãe de um aluno e trabalho como voluntária na atualização do site). Sugiro que você ligue e marque para conversar pessoalmente na secretaria antes o quanto antes, de preferência antes de começarem as inscrições. Tente também começar a participar das atividades da escola. Leve, por exemplo, a sua sobrinha à Festa da Cultura, que acontecerá no dia 29 de setembro. Assim, você começa a fazer parte da grande comunidade do Amorim. Um forte abraço, Márcia Carini

  3. Conheci neste final de semana a Regina, e estou muito feliz de que vocês têm interesse na cultura Mexicana.

    Gosto muito do seu projeto e quero parabenizá-los : )

    Um grande abraço
    Rodrigo Malagón

    Um Mexicano

  4. Gente, sou professora efetiva de português em uma EMEF e fiquei muito interessada no trabalho de vocês. A minha formação de base é toda comunitária e penso que gostaria muito de trabalhar em um lugar como o que vocês estão construíndo. Existe a possibilidade de haver vagas no próximo concurso de remoção? Abraços!

  5. sou ATE inspetoria em uma emef de extrema periferia, zona leste. sou tambem estudante de pedagogia. gostaria de saber se posso reproduzir algo que encontrei neste site. Por exemplo, posso imprimir e divulgar os principios de convivencia ou algo do projeto pedagogico ou nao por causa dos direitos autorais?

    1. Olá Beatriz, como vai? Isso dependerá do uso que você fará do material. É possível e permitido reproduzir desde que você cite a fonte e, de preferência, dê o link de onde o conteúdo foi retirado. Abraços, Márcia

  6. É uma delicia encontrar pessoas que inovam, parabens a todos.Gostaria de saber se esta escola (a gestão democratica e participativa) se deu a partir da Escola da Ponte/Portugal. Tive recentemente o prazer de conhecer pessoalmente o idealizador .Ele tem projetos como este no Brasil para ser aprovado sendo escola autonoma.Gostaria muito de conhecer pessoalmente o funcionamento destas.

  7. Olá Luzia, como vai? Sim! A Escola da Ponte é a inspiração deste belo trabalho desenvolvido no Amorim Lima.

  8. Espero em breve ter maior contato com esse processo de ensino-aprendizagem diferenciado e com um pé no futuro… desejo que em 2013 minha filha possa estudar aí (já fiz cadastro)

  9. Poxa Que legal que a Escola cada dia que passa se desenvolve mais e mais isso é bom
    bom saber que ainda existe pessoas no mundo que se esforçam para fazer deste um lugar melhor e se preoculpa com a gerações futuras e de tentar fazer deste um Brasil Melhor
    Beijos a Todos Que me aguentarão durante anos e anos hahaha
    e principalmente obrigada por ter feito parte da minha Historia
    Desejo a Todos Os HERÓIS da Escola dos sonhon EMEF DESEMBARGADOR AMORIM LIMA UM Feliz Natal e Um Próspero Ano Novo antecipado
    Por :Mais Uma ex aluna contente e cheia de saudades Diully StefanyDe souza Coelho
    Filha de Gilberto Frachetta

  10. Olá! Estou para concluir o curso de Pedagogia e, quando tomei conhecimento da Escola da Ponte, pesquisei pela internet se havia alguma escola brasileira inspirando-se nesses conceitos educacionais que me fascinaram. Quero muito conhecer a escola, mas como moro em Goiás, gostaria de saber se a escola é aberta a visitações não agendadas.
    Obrigada, Andréa.

  11. Olá, sou músico há 36 anos e prof. de Artes já há 15 anos, havendo passado por mais de 25 escolas. Encontro-me afastado – “readaptado” – por divergências com as diversas coordenações e direções e professores da maioria destas escolas. Vejo mestres e gestores berrando autoritariamente contra alunos, falando mal dos mesmos quando há intervalos e se portando como cetro e centro do mundo em suas salas. Voz de crianças e adolescentes, nem pensar. Revolto-me com isto e tenho às vezes conversado com as pessoas em geral, mas continuamente ganho antipatia por estas ideias, tanta que já tenho desistido. Aliás, em minha Pedagogia meu trabalho final foi sobre este modelo renovado de escolas. Já me falaram sobre vocês e creio talvez ser importante passar algum dia por aí e observar sua escola. Estou atualmente na EMEF Celso Leite. Obrigado!

  12. óla.queria saber se a escola AMORIM LIMA ,tem armarios para os alunos guardassem seus materiais.

  13. Olá pessoal do Amorim
    sou mestre em História da Educação. Tenho lido muito sobre a Escola da Ponte e nas buscas pela net, cheguei em vocês aqui no Brasil como tentativa de experiência similiar. É isso mesmo? Vcs conhece outras instituições no Brasil que tentem este modelo? No Nordeste por exemplo? Onde? Com quem da Amorim poderia conversar mais a respeito? PARABENIZO demais a todos pela coragem de fazer a Educação pública uma educação verdadeira e real.

  14. Adorei o site da escola. Estamos propondo a criação de um site para uma escola municipal de Campinas, como parte de um projeto da faculdade. Com certeza vamos nos inspirar no trabalho de vocês, pois ele é inovador e impressionante. Parabéns pela dedicação.

  15. Oi Boa Tarde , Estava pesquisando escolas e encontrei vocêis, gostaria de saber se posso conhecer a escola pessoalmente .
    E queria saber como conseguiria uma vaga, moro na região do butantã. Tenho dois filhos um com quatro e uma menina que completará oito em novembro.
    Achei muito interessante o projeto da escola.
    Obrigado

  16. Bom dia,querida Mcarini,vc sabe me dizer se no Amorim Lima tem algum tipo de trabalho manual(artesanato) com as crianças???Obrigada Abraços

  17. Bom dia!

    Fiquei encantada com o projeto de vocês, que prazer em saber que no Brasil temos uma escola desse porte e profundidade. Parabéns.
    Tenho um filho de 4 anos e gostaria de saber como fazer para tentar uma vaga para ele?
    Abraços
    Rosi

  18. olá boa noite!
    estou cursando o 5° semestre do curso de pedagogia, estamos com um trabalho exigido pela Faculdade onde temos que pesquisar desafios na gestão das escolas de são paulo, e informar o perfil dessa escola, a nossa proposta seria trazer uma escola diferente, que tenha um perfil diferenciado do tradicional. O encanto por essa escola foi a primeira vista e gostaríamos de saber se podemos marcar uma entrevista com a direção, pois temos que trazer projetos concertos e saber quais os desafios da gestão escolar. se não for possível pode ser relatos por email, também é válido, fico no aguardo de uma resposta…

    1. Olá Ana, que bom que se interessou pelo Amorim. Para agendar entrevistas, o ideal é que você ligue diretamente no telefone da secretaria, que consta aqui no site. Boa sorte e um grande abraço

  19. Boa tarde, tenho uma prima que já está com 13 anos e no momento não esta estudando por se sentir desprezada não tem um diagnóstico concluso mas a família fala que é dislexia vcs tem algo voltado p essa questão?

  20. Olá!

    Meu filho está no último ano da Educação Infantil e sou completamente apaixonada pelo projeto da escola porém… Moro longe!
    Existem outras escolas que trabalham de maneira semelhante em São Paulo? Moro na Zona Norte.
    O projeto da Amorim Lima é um sonho! Irei conhecer a escola na festa junina!

  21. Que possamos criar jovens comunicativos e inovadores em tudo que colocarem o dedo. Que a luz divina iluminem o coração de cada cidadão deste projeto, e que possam ensinar e aprender com os mais ricos ou os mais pobres, que possam amar e evoluírem muito entre si.

  22. Olá, boa tarde ! Estava navegando pela internet e encontrei o site de vocês … adorei a escola ! Estou procurando uma escola para meu filho, mas ela tem que ser inclusiva pois ele tem deficiência intelectual leve. Gostaria de saber se a Amorim Lima recebe alunos com deficiência intelectual ? Obrigada!

  23. Estou impressionado com o trabalho executado na escola , inovador, de vanguarda e que está influenciando muitos outros professores, diretores , alunos e pais por todo o Brasil.Pretendo conhecer a escola mais breve possível.

Deixe uma Mensagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *